Panorama do Teatro em Leopoldina – VII Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFOP

Vídeo-comunicação da pesquisa Panorama do Teatro em Leopoldina, elaborado para participação no VII Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal de Ouro Preto. O evento, organizado pelo PPGAC-UFOP, será realizado entre os dias 20 e 24 de julho de 2020. O vídeo fará parte do painel de discussão temático Territorialidades Teatrais Brasileiras, que ocorrerá no dia 22/07, ás 10h. A transmissão da discussão será aberta ao público por meio do canal Mostra Multi, no Youtube: https://www.youtube.com/c/MostraMulti/.

 

O projeto de pesquisa intitulado “PANORAMA DO TEATRO EM LEOPOLDINA: um recorte historiográfico sobre as Artes Cênicas no interior mineiro, durante a transição dos séculos XIX e XX”, sob a orientação do Profº Paulo Marcos Cardoso Maciel e co-orientação do Profº Clóvis Domingos dos Santos, tem por principal objetivo o levantamento, o rastreamento, o estudo e a análise dos indícios da presença do teatro na cidade de Leopoldina, localizada na região da Zona da Mata mineira, entre as últimas décadas do século XIX e as primeiras do século XX. O período temporal demarcado pela pesquisa justifica-se pela inauguração da imprensa em Leopoldina, através da criação do jornal O Leopoldinense em 1879, bem como com a construção de seu primeiro teatro público, o Theatro Alencar, inaugurado em 1883, destinado à recepção de artistas e companhias dramáticas locais, nacionais e estrangeiras. A pesquisa acompanha as vicissitudes da história do Theatro Alencar, desde sua concepção e edificação entre 1880 e 1883, até sua primeira grande reforma, ocorrida em 1926 e 1927, sendo reinaugurado em estilo neoclássico no ano de 1928 como Cine Theatro Alencar. Hoje o mesmo local da sua edificação abriga uma igreja. Buscamos compreender a importância desta casa de espetáculo no fomento as Artes Cênicas no município e na formação artística, cultural e social de Leopoldina e seus habitantes.

Discente-Pesquisador: Alan Villela Barroso

Orientador: Paulo Marcos Cardoso Maciel

Co-orientador: Clóvis Domingos dos Santos

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS – PPGAC
INSTITUTO DE FILOSOFIA, ARTES E CULTURA – IFAC
UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO – UFOP

VII Seminário de Pesquisa PPGAC 2020

Artes no Ensino Não-Presencial: problemáticas, conteúdos e práticas pedagógicas para o ensino fundamental II.

2

Em março de 2020, devido à pandemia do COVD-19, as aulas presenciais nas escolas estaduais de Minas Gerais foram interrompidas, sendo adotado, posteriormente, um novo regime de estudos não presenciais, com ofertas de aulas televisionadas ao vivo diariamente na programação da Rede Minas, além de comunicação entre alunxs e professorxs por meio do aplicativo Conexão Escola. Os conteúdos curriculares oferecidos nesta modalidade vão de acordo com o material elaborado, os PET’s: Planos de Estudos Tutorados, uma espécie de apostila.

Muitas discussões necessárias vieram à tona com a adoção do ensino não presencial na escola pública, o que tornou ainda mais evidente as desigualdades sociais vivenciadas por uma grande parcela dos estudantes e familiares, agravados em tempos de pandemia e crise econômica. Fato é: nem todos os estudantes da rede pública de ensino possuem acesso à internet e às tecnologias contemporâneas necessárias ou, em muitos casos, suas casas não dispõem de um espaço apropriado para estudo e reflexão, como uma sala arejada, iluminada e sem focos de distração, condições básicas que resguardam o estudante em seu direito à um efetivo processo de ensino/aprendizagem.

Outro fato nos leva a refletir sobre as condições dxs próprixs professorxs na mediação desse processo de ensino, como a sobrecarga das tarefas diante um novo cenário; a complexidade em separar as atividades relacionadas à escola e à vida pessoal, quando o espaço de trabalho é a casa; apreender, quase que instantaneamente, o uso das tecnologias na educação, quase sempre sem dispor de uma estrutura adequada; até mesmo questões relacionadas ao uso e o direito de imagem, uma vez que muitxs professorxs se esforçam na criação e compartilhamento de vídeo-aulas. O que se observa é uma grande tentativa, válida e necessária, de adaptação ao novo cenário que o mundo contemporâneo vivencia.

Atualmente, sou professor de Artes para turmas de 9º ano do Ensino Fundamental II, na Escola Estadual Luiz Salgado Lima, em Leopoldina e, desde o início do regime de aulas não presenciais, venho elaborando os conteúdos, as atividades e vídeo-aulas, com base no livro dx alunx (Coleção Por Toda PARTE, ed. FTD) e no PET Artes. Na prática, o material é estudado, elaborado e compartilhado semanalmente com xs alunxs. No mesmo horário das aulas presenciais, me conecto às redes sociais e aplicativos de comunicação para conversar e retirar as dúvidas.

Válido ressaltar que os Planos de Estudos Tutorados contemplaram a disciplina Artes a partir do volume II, o mais recente até o momento. Como professor e estudante, teço críticas ao conteúdo apresentado, carentes de aprofundamento teórico e analítico, fundamentais para uma aprendizagem consciente e reflexiva das Artes na história e na contemporaneidade. Não desmerecendo os esforços daqueles que o elaboraram na evidente urgência,  mas enfatizando a preocupação com a qualidade do currículo e do ensino  ofertado à distância, cujos os conteúdos e suas aprendizagens serão, em um futuro breve, cobradas de nossxs alunxs.

Percebendo as limitações, os desafios e defasagens impostas ao ensino público durante tempos de pandemia, muitxs professorxs e educadorxs se conectaram com o objetivo de criar, agregar e compartilhar os conhecimentos em rede. Aliás, a própria rede adaptou-se e vem se adaptando para receber educandxs e educadorxs, estimulando, desta forma, o ensino-aprendizagem na virtualidade, tornando evidente que, neste novo cenário de isolamento social, estamos todxs em formação e adaptação, mas que não caminhamos sozinhxs.

Neste sentido, venho também compartilhar os conteúdos e atividades que desenvolvi com minhas turmas ao longo desses quase 3 meses de regime não-presencial. Os planos de aulas abaixo foram elaborados para turmas de 9º ano do Ensino Fundamental II, no contexto do município de Leopoldina, Minas Gerais. As propostas poderão ser adaptadas para outras séries e contextos. Para acessar os conteúdos, clique nas imagens ou nos links. Em caso de dúvidas, troca de ideias e compartilhamento, entre em contato com o professor: alan.arte.educacao@gmail.com

Planos de Estudos Tutorados Volume II (Julho/2020)

Clique aqui para baixar o Plano de Estudos Tutorados Volume II

 

Planos de Aulas e Atividades Complementares / Artes, 9º ano (Profº. Alan V. Barroso)

1

ARTES Aula 1: Conceituando: O que é Arte? Funções e Finalidades. (EF69AR16P9)

 

1.1

Atividade aula 1: As Artes na Arte do Grupo O Teatro Mágico

 

2

ARTES Aula 2: Práticas Artísticas e Suas Dimensões (EF69AR31) (EF69AR32)

 

3

ARTES Aula 3: Instalações de Ideias e Poéticas (EF69AR31) (EF69AR32) (EF69AR33)

 

4

ARTES Aula 4: Intervenções e Performances (EF69AR31) (EF69AR32) (EF69AR33)

 

5

ARTES Aula 5: Arte, Cidade e Acessibilidade. (EF69AR03) (EF69AR05) (EF69AR31) (EF69AR32) (EF69AR33)

 

6

ARTES Aula 6: PERFORMANCE: Conceito e ação artística. (EF69AR03) (EF69AR05) (EF69AR31) (EF69AR32) (EF69AR33)

 

7

ARTES Aula 7: Fotografia: contextos e práticas. #TBT: O Surgimento da Fotografia e do Cinema em Leopoldina, Minas Gerais.(EF69AR01P6)

 

8

ARTES Aula 8: A Fotografia Modernista no Brasil, na Arte de Geraldo de Barros (EF69AR01P6)

 

9

ARTES_Aula 9: Leitura de Imagem: A dramaturgia escondida por trás da fotografia (EF69AR01P6)

 

10

ARTES Aula 10: Luz, Câmera e Ação: releituras de obras de arte (EF69AR01P6)

 

Seminário Conectando Boas Práticas

79180349_3294263200616052_4960248611934830592_o (1)
Foto: Cláudia Conte

No dia 30 de novembro de 2019 ocorreu o Seminário Conectando Boas Práticas e tive a alegria de conversar sobre minha prática pedagógica DA CRIAÇÃO À DIFUSÃO: Unindo Arte e a Tecnologia na Produção Artística em Contexto Escolar, desenvolvida com xs alunxs do ensino fundamental II, da Escola Estadual Enéas França, onde tive o prazer de lecionar a disciplina Artes, durante todo o ano letivo de 2019. Agradeço imensamente pelo espaço de troca, reconhecimento e valorização dxs professorxs. Orgulho em poder representar a comunidade da Escola Estadual Enéas França

 

Sobre o Conectando Boas Práticas:

O evento é resultado do 1º Edital do Conectando Boas Práticas. Em todo o Brasil foram quase 7 mil práticas pedagógicas inscritas. A Rede de Professores presente em todos os estados brasileiros conta com um Núcleo na cidade de Leopoldina, neste foram 107 projetos inscritos, destes 10 foram selecionados. A seleção aconteceu por meio de uma banca examinadora formada por profissionais indicados pela Secretaria Municipal de Educação de Leopoldina e pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Recreio, além de professores da Núcleo regional.

(Fonte: https://leopoldinense.com.br/noticia/16381/seminario-conectando-boas-praticas-sera-realizado-no-proximo-sabado-30-de-novembro-no-moinho)

78738157_2874481729253052_8189769967885877248_n (1)
Foto: João Paulo Araujo

Sobre Minha Prática Pedagógica:

A prática buscou promover o uso pedagógico de tecnologias contemporâneas na sala de aula, como o smartphone, estimulando as criações artísticas desenvolvidas pelxs alunxs e difundindo seus trabalhos na internet, através da Plataforma Ello, uma rede social pensada para que artistas de todo o mundo possam divulgar suas criações. Nossos trabalhos estão disponíveis para visualização no perfil do Projeto e, entre julho e novembro de 2019, receberam 6.500 visualizações e 140 interações, difundindo os trabalhos artísticos do corpo docente da Escola Estadual Enéas França. Acesse nosso perfil clicando aqui.

screencapture-ello-co-alanarteeducacao-2019-12-01-13_39_47.png
Página do Projeto. Print tirado em 01/12/19.

Todas As Dez Práticas Selecionadas

75233824_3235675346474838_2325138523453128704_o74986339_3235675419808164_231502821768298496_o70397215_3235675496474823_7113935618639396864_o71726917_3235675573141482_5421529933476265984_o74386270_3235675673141472_619607916449628160_o75439456_3235675779808128_4913851287121952768_o75078425_3235675899808116_2714821769507635200_o75462444_3235676016474771_1100352363329224704_o75439549_3235676113141428_2268378271483691008_o74528227_3235676183141421_8756948986624999424_o

Reportagem publicada no portal Pólis Recreio:

screencapture-polisrecreio-br-site-2019-12-02-rede-conectando-saberes-promove-seminario-conectando-boas-praticas-em-leopoldina-2019-12-04-12_25_07

78567096_1392851354217799_3303264587213701120_n

A Morte do Poeta Vitalício

2

Recentemente, completei doze de WordPress. Não havia me tocado, mas o WordPress fez questão de me lembrar. Em 2007, criei meu blog literário e, logo em seguida, a Rádio Poeta, um projeto de Podcasts Literários.

Continuo acreditando que, o mais importante no processo da escrita, é escrever. E, se possível, não jogar fora. As palavras levam seu tempo para produzir um sentido próprio. Tenha paciência, mas também ciência, é o que me digo. O processo de escrita pressupõe um processo contínuo de leitura (de imagens, de textos; leitura de mundo, como ensinado por Paulo Freire) pois, como navegar pelas marés de um oceano de palavras que buscamos atravessar, sem tripularmos nosso barco com livros e referências? Acredito na relação simbiótica entre o livro e o leitor, que extrapola os limites da leitura. O livro tem sua presença própria, portanto, mantenho-os sempre por perto de mim, mesmo que eu não esteja lendo, distribuo-os pelos cômodos e arredores de minha casa.

Nestes dois últimos anos, embarquei em uma viagem na escrita poética, após anos sem escrever poesia. Foi preciso, primeiro, estudar e conhecer a Lua, para compreender que a vida é feita de marés, altas e baixas. Acompanhei suas fases, observando-a de perto, em silenciosas madrugadas de vistas para o céu. Pois, foi me perdendo entre as constelações e aglomerados de estrelas, que me encontrei, refletido nas águas profundas do próprio amar.

Amanhã completará uma semana que comuniquei formalmente A Morte do Poeta Vitalício. Hoje, convoco a tripulação: amigos, desconhecidos, familiares, não-familiares, à embarcarem na proa do navio do Poeta, que em breve se desdobra. Adiantamos com alegria que, durante a viagem, haverá música pois, existe um trilho sonoro escondido no fundo do mar.

A partida está marcada para às 0 horas do dia 15 de agosto de 2019. Você pode reservar a sua passagem aqui.

amar

A  M O R T E  D O   P O E T A   V I T A L Í C I O

Narrativas de um Padecimento Poético

CAPA Dimensões ideias
Lançamento em 15 de agosto, nas Lojas Kindle, da Amazon, nos formatos E-book e livro impresso. Pré-venda do e-book disponível na Amazon. Clique na imagem.

cfUMvypbMINKdOrMP1l6.promo

Escute a trilha original do livro A Morte do Poeta Vitalício, disponível nas plataformas digitais de música, a partir de 08 de agosto. Pré-venda disponível: Amazon Music, iTunes e Google Play. Clique na imagem.

Escute “Despertar-se”, décima primeira faixa da trilha sonora de A Morte do Poeta Vitalício. Clique na imagem abaixo:Sem títuloCurta a página do Poeta Vitalício no Facebook.

CURSO EaD: Teatro e Letramento na Educação de Crianças (Moodle)

TELEDU LOGO

FORMAÇÃO DE TURMAS 2019

O curso TELEDU: TEATRO E LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS, abre inscrições para as turmas 2019-a e 2019-b. Ministrado por meio do Moodle, um Ambiente Virtual de Aprendizagem acessível em todos os dispositivos. O curso é gratuito e foi desenvolvido especialmente para professorxs, estudantes e demais interessados na  formação continuada, no âmbito do ensino das Artes, do Teatro e da Educação.

teatro e letramento na educação de crianças

Dividido em 5 módulos e com carga-horária de 100 horas, o curso objetiva valorizar a disciplina Artes nas escolas, demonstrando a importância do teatro e dos jogos de faz de conta, no contexto da educação infantil, estimulando práticas sociais de leitura e escrita, o letramento, em crianças que transitaram pela Educação Infantil e o Ensino Fundamental. No decorrer do curso, buscaremos responder a seguinte pergunta: De quais maneiras e como o teatro contribui para o processo de letramento entre crianças na fase de transição da educação infantil para o ensino fundamental, respectivamente 5 e 6 anos de idade?

MÓDULOS:

Módulo 1: O Teatro na Educação Infantil;

Módulo 2: O Letramento na Educação Infantil;

Módulo 3: Reflexões Sobre o Ensino Fundamental de 9 anos;

Módulo 4: Teatro e Letramento na Educação de Crianças: Práticas e Experiências Artístico-Pedagógicas

Módulo 5: Analisando Dados e Conclusão do Curso.

 Carga-horária: 100 horas

Certificado: Emitido após a conclusão do curso.

 Público-alvo: Professores e estudantes

 Requisitos: Acesso à rede mundial de computadores

 Metodologia: sem tutoria, estude no seu ritmo

 Área: Pedagogia do Teatro; Educação; Educação Infantil; Letramento.

 Nível: Intermediário

 Idioma: Português

Professor Conteudista: Alan Villela Barroso. Discente do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas, da Universidade Federal de Ouro Preto (IFAC/UFOP/2019), desenvolvendo a pesquisa “TEORIAS DA TRANSIÇÃO: As influências das Artes Cênicas na formação de plateias de pequenas cidades do interior de Minas Gerais, durante processo de transição dos séculos XIX-XX”. Especializado em Cultura e Literatura, pela Faculdade de Educação São Luís (FESL/2017-2018). Licenciado em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Ouro Preto (2008-2012). Professor de Artes na Escola Estadual Enéas França (Leopoldina/2019), lecionando para turmas do Ensino Fundamental II e Ensino Médio. É Professor de Educação a Distância e Conteudista, do curso livre de capacitação em “Teatro e Letramento na Educação de Crianças” (Moodle/2019). Atuou como Facilitador de Artes e Cultura, na Secretaria de Assistência Social, do município de Leopoldina (2017-2018). Foi Instrutor de Artes e Cultura do SESC MG (Juiz de Fora/2012-2014). Atuou como Professor de Artes no Centro Educacional Mundo Mágico (CEMM/Ouro Preto/2011-2012), e Instrutor de Teatro na Associação do Grupo da Terceira Idade (AGTI/Ouro Preto-2010-2012). Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/4403428095035317

TELEDU

Realize a inscrição no curso, preenchendo o formulário abaixo:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdbP26AjUT3ojLVG5895xRamb_1jFvRUkp54XPBhCBvcnem-g/viewform?vc=0&c=0&w=1

Com as informações fornecidas neste formulário (apenas seu nome, sobrenome, cidade onde reside e endereço de e-mail), o professor realizará o cadastro do aluno no sistema, permitindo o acesso ao Moodle. As informações de login e senha de acesso serão encaminhadas para o e-mail cadastrado neste formulário, portanto verifique se as informações estão corretas, antes de enviar. Acompanhe seu e-mail nos próximos dias, para verificar o recebimento do login de acesso.

Link do curso
1 – TURMA 2019-a: https://www.ensineonline.com.br/professor/course/view.php?id=4155
2 – TURMA 2019-b: https://www.ensineonline.com.br/professor/course/view.php?id=4170

Dúvidas? teatroeletramento@gmail.com / professorteatroeletramento@gmail.com

Desejamos á todxs um excelente curso!

Vamos de #SELFIE na aula de Artes

Esta prática pedagógica desenvolvida com as turmas dos 6º anos do ensino fundamental, propôs um auto-re-conhecimento, através da realização de um desenho estilo selfie. Buscando enfatizar as diferenças e características particulares em cada participante, o desenho pessoal demonstra a multiculturalidade de universos criativos e contextos diferentes em nosso meio.  Trabalha, ainda, com as formas geométricas, estimulando a compreensão de dimensões, formatos, formas e espacialidade.

Scanner_20190323 (3)

Scanner_20190323 (4)

Scanner_20190323 (5)

Scanner_20190323 (7)

Scanner_20190323 (8)

Scanner_20190323 (9)

PRÁTICA PEDAGÓGICA: AS ARTES CÊNICAS: Teatro, Música, Circo e Dança

LUCAS AUGUSTO 8

Protocolo verbo-imagético do aluno Lucas Augusto, 8º ano.

Esta prática pedagógica foi desenvolvida nas aulas de Artes, com alunos do ensino fundamental II (6º ao 9º ano), da Escola Estadual Enéas França, (Leopoldina/MG), durante duas aulas com duração de 50 minutos cada. Na primeira aula, exibimos a apresentação do grupo O Teatro Mágico e do Cirque Du Soleil. Na segunda, exibimos o vídeo Le Mime, de Marcel Marceu, além da realização do jogo teatral, conforme detalharemos abaixo:

OBJETIVOS: Ampliar a compreensão dos alunos sobre o que é Arte, percebendo as diferentes linguagens artísticas presentes em nosso cotidiano, compreendendo a Arte ontem e hoje. Refletir sobre o papel do corpo no trabalho do ator e a importância da expressividade para composição de um personagem.

– Discutir o conceito de Arte na atualidade, percebendo como a Arte reflete nosso cotidiano;

– Compreender alguns elementos que compõem as Artes Cênicas, como o Circo e o trabalho do Palhaço;

– Desenvolver pantomimas e representações teatrais não-verbais.

DAVID LUCAS 7ª
Protocolo verbo-imagético do aluno David Lucas Augusto, 7º ano.

DESENVOLVIMENTO: CONTEXTUALIZAÇÃO: Os alunos serão estimulados a resgatarem seus conhecimentos e aprendizados sobre Arte, bem como os artistas e obras que permeiam seus repertórios imagéticos. Em seguida, refletiremos sobre Arte e Sociedade, percebendo os elementos artísticos presentes em nosso meio, na sala de aula, dentro da escola, no bairro onde moram, classificando O que é Arte? E o que não é? Por quê?

APRECIAÇÃO: No momento de apreciação, os alunos assistirão à apresentação do grupo musical O Teatro Mágico, com a música “Sonho de Uma Flauta”. O grupo mistura as múltiplas linguagens artísticas em suas apresentações, compondo um espetáculo visual de circo, teatro, música, poesia e dança.

Exibir, ainda, o vídeo “Kurios”, uma apresentação do Cirque Du Soleil, que explora a capacidade física e extra cotidiana do corpo humano, onde o contorcionismo possibilita a criação de imagens, sons e movimentos.

VITORIA 9
Protocolo verbo-imagético da aluna Vitória, 9º ano.
LAIS 6A
Protocolo verbo-imagético da aluna Laís, 6º ano A.

 

Após o momento de fruição, destacar o Clown, o personagem palhaço e seu trabalho com a mímica, a expressividade facial – a máscara -, os gestos e a predominância do não-verbal, personagem marcante dos palcos circenses. Exibir o vídeo “Le Mime”, do clown Bip, personagem criado por Marcel Marceau (1915-2007).

CRIAÇÃO: Entrando em Pantomima. Uma pantomima propõe que o ator-jogador expresse seus sentimentos e represente suas emoções, ou situações cotidianas, utilizando apenas os movimentos do corpo, através da mímica, do uso da máscara facial e dos gestos, dispensado o auxílio da voz e do verbo. Neste jogo, o ator/jogador deverá entrar na sala, abrindo a porta e já em estado de representação de uma situação, ação ou personagem, usando apenas a mímica, devendo comunicar sua intenção com a platéia, os outros alunos/atores/jogadores. Ao término da pantomima, a turma deverá discutir sobre o que foi representado.

MARCUS VINICIUS
– Hoje vamos fazer mímica. – Que legal! / Protocolo verbo-imagético do aluno Marcos Vinicius.

Sugestões de pantomimas de entrada:

– O combate à dengue em busca de água parada;

– Uma entrega de botijão de gás em uma casa com escadarias;

– Entregando um pedido de 15 pizzas;

– Um padre rezando missa ou um pastor pregando;

– Um médico saindo do centro cirúrgico, dando uma notícia aos familiares do paciente;

– Um cirurgião dentista entrando em cirurgia;

– Acompanhando um velório, no cemitério, até o enterro do caixão;

 – Um assaltante entrando em uma casa.

METODOLOGIA DE ENSINO: Utilizando a Abordagem Triangular para o ensino das Artes, a metodologia busca, primeiramente, reconhecer os conhecimentos prévios dos estudantes, e seus contextos culturais e sociais. A temática da aula será contextualizada, por meio de roda de conversa. O momento de fruição será voltado para a leitura de imagens, como fotografias, desenhos, pinturas ou vídeos, que possibilitem o aprendizado pela apreciação do olhar do aluno sobre a temática em estudo. Por fim, o momento da criação propõe que a turma ponha em prática o aprendizado, expressando-se por meio de alguma linguagem artística ou durante prática corporal, jogo dramático e/ou teatral.

RECURSOS DIDÁTICOS: Para realização das atividades, será necessário, caso a escola disponha:

–      Computador e/ou notebook com caixas de som, ou uma TV com entrada para PenDrive;

–      Data-show, para projetar a imagem do computador;

– Vídeo Sonho de Uma Flauta, do grupo O Teatro Mágico: < https://www.youtube.com/watch?v=5j_G5KbFPKg > Duração: 6m.20s

–       Vídeo Le Mime, de Marcel Marceau < https://www.youtube.com/watch?v=XEsfpRrfXf4 > Duração: 1m.48s.

–      BÔNUS: Vídeo Kurios, do Cirque Du Soleil < https://www.youtube.com/watch?v=x-1-gLv3aWs > Duração: 3m.43s. Tempo total para exibição de vídeo: aproximadamente 12 minutos.

AVALIAÇÃO: Os alunos serão avaliados pela sua participação individual na aula, durante os momentos de contextualização, fruição e criação, além da realização de protocolos verbo-imagéticos.


BIBLIOGRAFIA:

BARBOSA, Ana Mae; CUNHA, Fernanda Pereira (Orgs.). Abordagem Triangular no Ensino das Artes e Culturas Visuais. São Paulo, Editora Cortez, 2012.

NOVELLY, Maria C. Jogos Teatrais – Exercícios Para Grupos e Sala de Aula. 2ª edição. São Paulo, Papirus Editora, 1996.

UTUARI, Solange; LIBÂNEO, Daniela; SARDO, Fábio; FERRARI, Pascoal. Arte Por Toda Parte. Volume único, Ensino Médio. 2ª edição, São Paulo, Editora FTD, 2016.

“Dorme a Cidade”, uma arte sobre a aula de Artes

FINAL - CORINGA - DORME A CIDADE - VERTICAL

A arte acima faz parte dos protocolos verbo-imagéticos, referente as aulas de Artes ministradas na Escola Estadual Enéas França, localizada no município de Leopoldina, Minas Gerais.

O desenho registra o jogo de representação e investigação “Dorme a Cidade”, realizada na aula e entregue dia 28 de fevereiro de 2019. O registro é um desenho em estilo grafite, tema debatido na aula de arte, feito pelo estudante CORINGA (Jhone Corrêa), do 1º ano do ensino médio. A arte foi digitalizada e finalizada no photoshop.

Abaixo, protocolo desenvolvido pelas alunas Valéria Cerqueira e Sabrina Soares, do 2º ano do ensino médio, também referente à prática “Dorme a Cidade”. Em ambas as artes, observamos diferentes personagens que compõe este jogo de interpretação, investigação, raciocínio e aguçamento dos extra-sentidos, da escuta e da percepção.

SABRINA E VALERIA 2EM
Protocolo verbo-imagético das alunas Valéria Cerqueira e Sabrina Soares, 2º ano E.M.

 

X Conferência Municipal dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes

crianças

Participação do Coral de Crianças do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos dos Centros de Referências da Assistência Social de Leopoldina na X Conferência Municipal dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes, realizado em Leopoldina dia 27 de outubro de 2018.

Na ocasião, foi apresentada a canção “Deveres e Direitos”, do Toquinho com regência de Alan Barroso.

Link para a matéria: https://leopoldinense.com.br/noticia/14714/realizada-em-leopoldina-a-x-conferencia-municipal-dos-direitos-da-crianca-e-do-adolescente

 

Musicalização: “Asa Branca” – Partitura para piano e execução.

Compartilho a partitura para piano da conhecida música “Asa Branca”, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, excelente para treino dos acordes C, F e G, respectivamente Dó, Fá e Sol (maiores). Agradeço minha professora de piano Vânia Bedin, do Conservatório de Música Lia Salgado, por me conceder a partitura, desta maneira posso compartilhar.

Partitura Asa Branca

Copyright 1953 by BOURNE INC e FERMATA DO BRASIL LTDA.

No vídeo, demonstro a execução, primeiramente sem os acordes e depois com a presença dos acordes.

Boa musicalização!